notícias do leilão

9 de julho, 2018

Reprodução, crescimento e carcaça: três principais características de seleção em gado de corte

Reprodução, crescimento e carcaça: três principais características de seleção em gado de corte

Nos deparamos diariamente nos rebanhos de corte com a necessidade de melhor desempenho animal e, consequentemente, maior rentabilidade. Para alcançarmos este objetivo, torna-se necessária a observação continua do rebanho e a medição de características que levem a escolha dos animais mais eficientes.

A reprodução é o fator mais importantes na determinação da eficiência biológica e econômica dos sistemas de produção de carne bovina, seguida das características de crescimento e, por último, das características de carcaça.

Dentre os critérios utilizados para controle do desempenho reprodutivo de um rebanho temos a determinação de estação de monta, o conhecimento do índice de prenhez e o descarte de vacas vazias visto a eliminação constante de fêmeas com problemas reprodutivos ou menor resposta às condições de criação. E a forma de acelerar a melhoria das características reprodutivas é o ingresso de material genético de desempenho superior, através principalmente da aquisição de reprodutores.

Para identificar os touros adequados observamos as DEP’s das características relacionadas a reprodução. Dentre elas, as mais expressivas e facilmente observadas seriam:

  • PE - perímetro escrotal: medido a desmama e ao sobreano, é uma característica de fácil medição e que apresenta herdabilidade alta. Assim, animais que apresentam PE acima de 28 cm em fase jovem são animais precoces sexualmente, com maior fertilidade e que na idade adulta tendem a apresentar altos PE incidindo em melhor produção espermática. DEP’s altas são preferidas.
  • IPP – idade ao primeiro parto: medida pela idade ao primeiro parto das fêmeas jovens. Depende diretamente do desafio reprodutivo de fêmeas entre 14 a 18 meses, e animais precoces reprodutivamente apresentam melhores taxas de retorno a ciclicidade e reconcepção ao longo da vida. DEP’s negativas são preferidas, pois significam meses a menos para o primeiro parto.
  • 3P – propabilidade de parto precoce: expressa a probabilidade de um reprodutor produzir filhas, que desafiadas precocemente, sejam diagnosticadas prenhes, mantenham a gestação e tenham um bezerro vivo até os 30 meses de idade. É mais efetiva que IPP, visto que é um índice calculado em relação apenas as fêmeas desafiadas. Touros com maiores DEP’s são indicados para uso.
  • STAY – probabilidade de permanecer no rebanho: medida pela capacidade da vaca de permanecer no rebanho até os 76 meses de idade parindo pelo menos 3 vezes. DEP’s altas são preferidas.
  • PAC – produtividade acumulada: indica a produtividade da vaca em kg de bezerros desmamados por ano. Reflete a capacidade da fêmea de iniciar sua produção de bezerros em menor idade, permanência no rebanho e capacidade de desmamar bezerros pesados. DEP’s elevadas são mais indicadas.
  • PG – período de gestação: bezerros nascidos de gestações mais curtas tem menor peso ao nascer, e quanto menor for o período de gestação maior o período para a matriz se recuperar e produzir uma cria por ano. Expressa em dias, sendo preferida medida negativa.

Vejam, portanto, que são várias informações que em conjunto auxiliam na melhor escolha de reprodutores que farão boas filhas e, portanto, boas matrizes para seu rebanho. De todas essas DEP’s listadas, é imprescindível a observação de pelo menos perímetro escrotal e STAY – probabilidade de permanência no rebanho.

Outro grupo importante de características em bovinos de corte é aquele ligado à produção, que engloba as medidas de crescimento. São características de fácil obtenção e apresentam herdabilidade de média a alta, resultando em rápido progresso genético dos rebanhos. Nesse grupo de características estão os pesos, normalmente tomados ao nascimento, aos 120 dias de idade, à desmama, ao ano, ao sobreano e à idade adulta. 

  • PN – peso ao nascer: é estimado para monitoração, visto que está relacionado com período de gestação e facilidade de parto. É imprescindível a observação em caso de inseminação ou entoure de novilhas. São preferidas DEP’s próximas de zero ou negativas.
  • MTP120 e MTP210 – habilidade materna total para peso aos 120 e 210 dias: expressam a habilidade de crescimento dos filhos e a produção de leite das filhas de um reprodutor. DEP’s elevadas são indicadas.
  • DP120 – peso ao 120 dias e DP210 – peso aos 210 dias: expressam o potencial de ganho de peso no período pré-desmama. Para fazendas qie trabalham com venda de bezerros, a observação dessas características é de grande importância, visto o incremento de qualidade nos bezerros comercializados. DEP’s elevadas são recomendadas.
  • DP365 – peso ao ano e DP450 – peso ao sobreano: potencial de ganho de peso no período pós-desmama. DEP’s elevadas são recomendadas.
  • PA – peso adulto: definido como o peso obtido dos 4 aos 12 anos de idade. Está diretamente relacionado aos custos de mantença e velocidade de crescimento do animal, e DEP’s próximas a média da população são desejáveis.

No quesito crescimento, também são várias informações que devem ser interpretadas em conjunto, sendo recomendado sempre que pelo menos as características de DP210 (peso à desmama) e DEP450 (peso ao sobreano) sejam observadas, e que ambas sejam positivas demonstrando o crescimento homogêneo dos animais.

Por fim, e não menos importante, estão as características de carcaça que apontam para um biotipo animal de crescimento equilibrado, com melhor desempenho em sistema tropical. Nesse grupo de características estão estrutura corporal, precocidade e musculatura, bem como, área de olho de lombo, acabamento, marmoreio.

  • ED e ES – estrutura corporal ao desmame e ao sobreano: medida subjetiva obtida através da observação e comparação dos animais do lote, avalia-se a altura e comprimento do animal, ou seja, o frame size.
  • PD e PS – precocidade de desmama e ao sobreano: indica a relação entre a profundidade de costelas e altura dos membros, é uma medida subjetiva obtida através da observação e comparação dos animais do lote. Biotipo mais precoce exige menor tempo de engorda e menor custo de produção.
  • MD e MS – musculosidade ao desmame e ao sobreano: medida subjetiva obtida através da observação e comparação dos animais do lote, observa a distribuição muscular, bem como volume e comprimento das massas musculares. Visa progênies com maior rendimento de carcaça.
  • AOL – área de olho de lombo: medida objetiva coletada através de ultrassonografia no animal vivo, está relacionada com o rendimento de carcaça, principalmente cortes nobres. Touros com altas DEP’s são preferidos.
  • ACAB – acabamento de carcaça: relacionada com precocidade de acabamento de carcaça e sexual, resulta da análise conjunta das características espessura de gordura na garupa (EGP8) e da espessura de gordura entre a 12° e 13° costelas (EG).
  • MAR – marmoreio: coleta realizada entre a 11° a 13° costela, em animais vivos, e está relacionada à quantidade de gordura intramuscular presente no animal. Touros com altas DEP’s são preferidos.

Tendo em vista carcaça, é relevante pelo menos a observação de altas medidas de precocidade e musculatura, resultando em animais de alta composição de carcaça. Animais esses que crescem com maior harmonia, atingem mais cedo a puberdade, têm maior facilidade no retorno da ciclicidade e reconcepção, atingem mais rápido o ponto de abate e co-existem com melhor desempenho em condições de restrição alimentar temporária.

 

 

 

voltar

1000 TOUROS Nelore Grendene. Todos os direitos reservados, 2019.

Clickweb Agência Digital